segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Em Roteiro, o que é um beat?

Esses dias recebi do mercado um feedback - que entre roteiristas chamamos de "notas" - que, entre diversos apontamentos, havia um que me chamou a atenção:

"Faltam beats nos diálogos e cenas."

Perguntei para alguns colegas se eles compreendiam a essência da nota, e todos eles responderam com o mesmo assombro que me acometeu. Poucas expressões em Roteiro são tão confusas quanto beat, de modo que resolvi investigar um pouco melhor essa questão, também em função do desenvolvimento da minha dissertação de mestrado, sobre Processo Criativo do Roteirista, no Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena da UFRJ.

O termo beat se popularizou nos estudos de Roteiro possivelmente a partir do influente livro "Story", de Robert McKee, em que diz ele:
"Beat é uma mudança de comportamento em ação/reação. Beat por beat, essas mudanças de comportamento mudam a forma da cena." (MCKEE, Robet. "Story", p. 37)
Como bem sabemos, o grande mérito do McKee é colecionar conceitos narratológicos oriundos das mais diferentes fontes (principalmente Aristóteles, no entanto) e ter apresentado de maneira concisa e coerente, cheia de exemplos dos filmes clássicos. Um exemplo disso é o tal "plot point", que chamamos aqui no Brasil popularmente de "virada". O que McKee chama de ponto de virada (plot point), Aristóteles já chamava há vinte séculos de Peripécia (peripeteia).

O que Aristóteles concluiu sobre a poesia e o drama de sua época continua valendo. Com a Poética, a Narratologia começa a se desenvolver, e continua se desenvolvendo com os trabalhos de muitos outros narradores, pesquisadores e filósofos.

O beat, por exemplo, conceito que ele popularizou, nada mais é do que um Narrema. Assim como o Fonema é a unidade básica da Fonologia, o Morfema, da Morfologia, o Narrema é o fragmento mínimo indivisível da Narratologia - o estudo das narrativas.

Embora esse termo científico não tenha mais do que 40 anos, a partir dos trabalhos de Eugene Dorfman em meados dos anos 1960, ele se consagrou nos estudos estruturalistas, e foi apresentado à Pedagogia do Roteiro de maneira simplificada, principalmente por intermédio de Mr. McKee.

Como proposto pelo linguista canadense Henri Wittmann nos anos 1970, o Narrema é a unidade básica de estrutura narrativa. Trata-se de um acontecimento dramático que pontua o desenrolar dos acontecimentos na narrativa: a fração irredutível de uma cena em que "acontece alguma coisa", o menor pedaço capaz de expressar significado narrativo.

Apesar de ter desembarcado recentemente no mercado audiovisual brasileiro, o conceito de Beat não tem nada de novo. Pelo contrário, é um conceito oriundo de outros campos da ciência que, por ora, os estudos em Roteiro teimam em ignorar.


"A Velha Cozinheira" (1618), de Diego Velasquez