quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Qual programa de roteiro devo usar?

Sempre ouço essa pergunta, tanto de pessoas começando na arte do roteiro, quanto de roteiristas mais experientes fazendo a transição tecnológica. Com a introdução do modelo americano de séries no Brasil, a adequação às normas internacionais de roteiro se torna cada vez mais importante.

Bem, e qual é a resposta? Simples: se você é um profissional, você precisa usar o Final Draft, de preferência a versão mais nova.

Não recebo um real deles para fazer esse tipo de propaganda. Pelo contrário, para mim não faz a menor diferença se você vai pagar US$249 na Loja Oficial ou se você vai piratear a mesma versão a custo zero, Mas a atuação profissional de um roteirista exige uma ferramenta desse porte, não só pelas facilidades que ele oferece na escritura do roteiro, mas também porque os programas que serão usados pela produção e pela direção, como o MovieMagic - usado para fazer de cronogramas a orçamentos, além de escalas de gravação - dialogam melhor com os roteiros produzidos no Final Draft.

Basicamente, o FDX (Final Draft XML, o arquivo que o Final Draft gera) é uma planilha em que cada linha possui uma informação agregada: se é cabeçalho, ação, diálogo, nome de personagem, transição, etc. Quando você escreve seu roteiro em um editor de texto convencional, essa informação agregada não é gerada e atrapalha todo mundo adiante na cadeia produtiva que precisa delas.

Mas não existem alternativas? Sim, existem. O Celtx é a mais conhecida delas, funcionando sobre a plataforma aberta do Mozilla Firefox. Já usei muito, é uma excelente porta de entrada para o mundo dos softwares de roteiro... mas na boa? Não chega perto do Final Draft em funcionalidades úteis para o roteirista. "Mas eu prefiro o Celtx" é uma coisa que pega muito mal dizer no "mercadão": mostra que ou você não conhece ou não domina o Final Draft.

Outra alternativa é o Writer Duet, uma plataforma online e gratuita (cujo serviço Pro custa U$29,90 - uma única vez na vida, válido para todas as versões futuras) que além de servir para converter variados tipos de arquivos de roteiro (vou escrever um outro artigo sobre isso em breve), possui diversas funcionalidades (especialmente relacionadas à mobilidade) interessantes, mas ainda está distante do conforto que o Final Draft proporciona à escrita.

Resumo da ópera: a imagem abaixo responde à pergunta que dá título a esse artigo.