sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Yehuda Amichai: "Eis o fim da paisagem"


Eis o fim da paisagem. Entre blocos
de concreto e ferragens
há uma figueira carregada
mas nem as crianças se aproximam para colher.
Eis o fim da paisagem.
Dentro da carcaça de um colchão apodrecendo no campo
permanecem as molas, como almas.

A casa onde vivi fica cada vez mais longe
mas uma luz ainda arde na janela
para que possam apenas ver e não ouvir.
Eis o fim.

E como tornar a amar? é como o problema
dos arquitetos numa cidade velha: como construir
onde houve casas, para que pareça
com dias de outrora, mas também com o agora.

(Yehuda Amichai, trad. Rafael Leal)

"Sem Título", Mark Rothko (1903-70).. Acervo MoMA, NY