quinta-feira, 21 de junho de 2012

Um amor impossível


Olhei os dois conversando e ficou claro que não estavam apaixonados. Ele sim, nutria grandes esperanças, ainda que suas canelas estivessem atoladas no lodaçal do realismo. Ela talvez nem o considerasse uma possibilidade real, alheia aos tantos momentos felizes que ele vivera com ela, em sua imaginação.

Olhando o casal pensei na vida ao teu lado - nos fragmentos de vida ao nosso alcance, especificamente. Um fim de semana enfurnado em Geribá ou andar de mãos dadas no pôr-do-sol em China Beach ou qualquer outra fantasia tropical que nos viesse à cabeça.

Queria te dar um presente mas não é seu aniversário. Pensei num livro de Drummond, um que tivesse "Resíduos". Poderias interpretar mal, mas como interpretar mal Drummond?

É só meu o nosso estranho amor. Não participas dele, não como sujeito, não que eu saiba.


Sigo investigando contudo.



("O Amor Impossível",  Dorina Costras)