quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Sobre erros e acertos


"A life spent making mistakes is not only more honorable, but more useful than a life spent doing nothing." [Uma vida cometendo erros não é apenas mais honrosa, mas também mais útil do que uma vida fazendo nada.] 
-- Sir George Bernard Shaw, dramaturgo irlandês


Compreender que todos os caminhos levam ao mesmo lugar, restando portanto a escolha do mais pleno, do mais correto, o mais prazeroso.

Escolher a ação sobre a inação, a expressão sobre a linguagem, o risco à passividade, o amor ao desamor, o silêncio à estupidez.

Preservar o fluxo natural dos acontecimentos, ciente da volatilidade de planos feitos sobre especulações.

Considerar a dimensão poética das ações.

Propor uma comunicação direta, sem mediação - se possível nem mesmo da linguagem, que, afeita à aspereza e ao rigor, pouco pode ajudar a dizer o inexprimível que pode existir entre duas pessoas.


Uma manhã muito fria no Rio de Janeiro, mas o mar está da cor dos teus olhos.

"Mar de Gelo", óleo sobre tela, 1824, de Caspar David Friedrich (1774-1840)