sexta-feira, 20 de março de 2009

Incursões poéticas pela adolescência - II

Quando te vir
quero te amar
intensamente
quero te possuir
arrebentar
e toda a gente
que nos vir
irá corar
por mais que tentes
não fugirás
por que fugir
é indecente
e o amor
resplandecente
é bem maior
está acima
de toda rima
que posso fazer
que posso cantar
que pode nascer
para te encantar.


("Quando te vir", escrito em 1998)