segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Pais e Filhos - Parte I

Contou-me uma querida amiga que decidira, sem sofrimento, furar as orelhas de sua filha ainda na maternidade. As suas próprias orelhas foram perfuradas com um brinco somente aos oito anos.

"E doeu?" - eu perguntei.

"Deve ter doído," - ela me confidenciou - "pelo tanto que meu pai chorava, deve ter doído muito."