domingo, 16 de novembro de 2008

Desculpa

O que fazer quando se esquece do aniversário de uma amiga, e os compromissos e furacões e a vergonha te impedem de escrever ou ligar e assumir o atraso e o carinho?

E se essa amiga for de uma insustentável, imponderável - e por que não dizê-lo, impossível - leveza? E se for daquelas amigas que liga num sábado à tarde só para saber se você está bem ou feliz?

Há pessoas no meio dessa "selva oscura" que ainda buscam os amigos e são capazes de carinhos despretensiosos e desinteressados, que se comprazem em ouvir a voz do amigo em vez de buscá-la apenas em troca de um convite para uma festa, um ombro em que se possa chorar um monólogo ou de outros interesses banais.

Minhas agendas telefônicas estão cheias de gente assim - lembrar-me-ei deles na hora certa - e calha da irresponsabilidade afetiva magoar justamente uma pessoa a quem tanto quero bem.

Como pedir desculpas?

Sorte têm os escritores que podem fazê-lo com arte e delicadeza, que tanto faltam ao mundo lá fora.