quarta-feira, 13 de agosto de 2008

A Palavra

A palavra só faz sentido quando dá forma vibratória ao ar com a intenção de tangir e encantar. De fascinar amantes e torná-los ainda mais; de celebrar a paz que sepulta o medo; de florar o amor onde haja ciúme e terra arrasada. A palavra também é poderosa peçonha, que escorre pelas fendas da desinformação e atinge os corações inseguros, cheios de certezas. A palavra é a seta definitiva pronta para matar pelo amor ou para fazer morrer de amor o amante descuidado.
A palavra é uma pérola parcialmente defeituosa; impressiona pelo lado certo, da beleza ostentada e brilhante, enoja e se revela a vil digestão quando se observa o outro lado, o lado da crueza da realidade.