quinta-feira, 19 de junho de 2008

Serenata

Música de Paulo Renato Pereira, letra de Rafael Leal.
Gravada em 2006 por Fabiana Passoni, no disco "It's my turn", Los Angeles, CA.

Mar,
grande mar,
me traz a esperança de estar
novamente com você,
meu amor,
teu olhar,
as lembranças que tenho
não podem deixar-me esquecer
de você,
meu amor
me tomou em seus braços
como quem não tem nada a perder,
pois você,
que me amou,
numa noite passada de eterno querer,
me deixou
a chorar
na loucura de talvez não mais
te ver,
pois você
naufragou
na tormenta do mar
que eu fiz pra você...

terça-feira, 17 de junho de 2008

Nem Cais, Nem Barco

Vivem me perguntando o porquê de Nem Cais, Nem Barco. A resposta é mais simples do que parece., porque este é o nome de uma das mais belas (para mim) canções da língua portuguesa, composta por Guinga e por Aldir Blanc. Vejam o primeiro post do blog, ela está lá. Trata-se de uma forma simples de homenagear um dos meus artistas favoritos.

Aldir Blanc é um poeta, compositor e cronista incrível. Poderia dizer que é o melhor isso, um dos melhores daquilo, mas me seguro porque arte não é olimpíada, em que um pódio cabe com naturalidade. Em arte não cabe. Mas posso dizer que poucos poetas são capazes de me emocionar como Aldir Blanc.

Um dia, se ele deixar, ainda faço um filme sobre o universo blanquiano de amores, tijucas, biritas e balcões.

sábado, 14 de junho de 2008

Copacabana

Enquanto o céu do Rio amanhece diferente e clareia até tomar o azul dos teus olhos, o azul do mar vizinho, fiz uma lista das cem principais razões pelas quais tu fazes de mim o homem mais feliz do mundo, mas vou mantê-la em segredo. Palavras são rudes. Jamais contarei a felicidade que me invade quando um enorme sorriso escava duas covas formosas em tuas bochechas, tampouco falarei de como é bom abraçar tua cintura fina ou mordê-la em lugares inomináveis, senão por pudor, por falta de nomes.

Não direi como ficas linda contracenando com a câmera do computador nem espalharei como gosto do teu jeito tímido e da tua fala baixa e dífícil. Nem pensarei em músicas de Jobim ladeiras íngremes cidades do interior suco de acerola Niterói jogo de mau mau nem tantas outras coisas que não permitem meu pensamento deixar-te um só segundo do meu dia.

Afinal, são os teus segredos, que hei de teimar em descobrir enquanto não me faltarem os dias para passar a teu lado.