quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

À primeira vista

[Amor. S.m. 1. Atracao afetiva ou fisica que, devido a certa afinidade, um ser manifesta por outro. 2. Atracao baseada no desejo sexual; afeicao e ternura sentida por amantes. Fonte: Dicionario Houaiss.]


Um amigo lhe contou que, há muitos anos, ainda adolescente, tinha ido parar com uma turma na Pizzaria Guanabara, de madrugada. Eis que surge Vinícius de Morais, muito bêbado, acompanhado de um homem e de uma mulher muito bonita. Em meio à conversa, seu amigo pôde pescar uma frase da mesa ao lado. O poeta sentenciava: "Conquistar as mulheres é fácil. Difícil é amá-las."

Essas histórias da noite do Rio, especialmente de antanho, agradaram-lhe muito, soube-as às dúzias. Histórias de uma época em que se acreditaou no amor. Esteve sozinho muito tempo, entre troquilhas insignificantes e erros de cálculo. Talvez o amor fosse, para ele, uma impossibilidade, utopia galeana.

Exposto como sempre nas telas e nos bares, à mercê reiterada do preto e do escocês, sempre observou a vida besta que passava, como se estivesse sentado a uma janela, do alto de suas certeza empilhadas. E embora propagasse essas idéias em filmes e escritos, ele não acreditou que pudesse ser tomado tão fortemente por um sentimento. Cansou-lhe o ser humano.

Eis que vem a vida e derrama-lhe um presente em seu colo. À primeira vista, um amor recíproco, que ele acreditava ser só possível no cinema, abateu-se sobre ele inegável como um do verão carioca. O amor verdadeiro, que ele ao sentir teve a certeza de jamais ter sentido antes, é uma idéia imperativa.

O amor verdadeiro, em sua mais pura acepção, só ocorre à primeira vista.