sábado, 30 de setembro de 2006

O amor segundo o rugby

Para ele, o amor era como um jogo de rugby: prazeroso e divertido quando bem jogado, violento quando desleal e, principalmente, arrebatador para quem se entrega.

Sempre tivera uma paixão irracional, forte como fosse genética, pela Inglaterra. Cruzou-lhe o caminho o rugby, esporte bretão pai do futebol. Explicava a todos, pacientemente, que nada a ver tinha com o futebol americano, um esporte de bárbaros. O rugby era o esporte dos cavalheiros por excelência.

Depois de exausto o corpo, após os treinos, era a vez de exaurir a alma, invariavelmente com um copo de Shandy numa mão e, na outra, um fumo pouco condizente com sua condição de atleta. E é sempre no bar que as coisas acontecem - desta vez o destino lhe escolhera um pub irlandês como o palco em que sua vida começaria a mudar. Bem escolado na "síndrome dos pubs", ele tinha gravadas cicatrizes que não lhe permitiam esquecer da máxima de Sir George Bernard Shaw, que não se misturam os humores (tampouco os amores) do fígado e do coração.

Eram três as belas garotas sentadas a um canto do pub. A inércia da vida que o impedia de retribuir os olhares insistentes foi vencida como um scrum, movidos por seus dois companheiros de time, que, por menos experientes - no jogo e na vida - também eram mais inconseqüentes.

- "Eu te vi no jogo de hoje à tarde." - A iniciativa partiu dela. - "Belíssimo try o seu."
- "Obrigado, você joga também?"
- "Jogo sim, mas estou começando. Foi uma bela vitória", disse ela, sem saber que, então, havia sido duas.

E a relação dos dois percorreu os caminhos de uma relação rápida como a bola descendo a linha no ataque. E, diferentemente do rugby, ao chegar ao fim, não tinha para onde voltar. E se a bola chega ao ponta ainda longe da linha do in-goal, procura-se outra forma de avanço, seja voltando e começando o ataque de novo, seja insistindo na quebra da linha pela força ou pela tática.

Ele não sabia precisar se o amor tinha um in-goal ou algo que o valha, como se o jogo - como é o esquecido espírito esportivo - fosse mais importante do que os pontos ou o resultado final.