domingo, 4 de dezembro de 2005

Um Segundo

Quando ele saiu do elevador, ela já o esperava com a porta entreaberta. Passava um pouco da meia-noite. Aproximou-se dela, sem saber se a cumprimentava com um beijo no rosto ou diretamente na boca, que ele jamais tinha beijado mas muito o quisera.

De tão gostosa a dúvida, ele sentiu que poderia permanecer ali, parado naquele segundo de decisão, pelo resto de sua vida.

Um comentário: